Como se recuperar do “baque” no retorno de um Intercâmbio

Como se recuperar do “baque” no retorno de um Intercâmbio

Em primeiro lugar: Calma!!!! Take it easy! Relax!!! now you are at home! (Calma, relaxa!!! Agora você está em casa!) Epâ! Como assim estou em casa? Quem é você para me falar onde é minha casa! Eu quero ir embora disto daqui! Socorro!!! Brasil??? Não!!! você está enganado… eu nasci foi em qualquer outro lugar do planeta… impossível… mãe… pai… haaaa não! É aqui mesmo que tenho que ficar?????……

Como levar isso tudo numa boa, afinal agora você é o maior chatolão! 

Vamos combinar que “na boa” você está incrivelmente quase que “insuportável”, não me leve a mal, pois um dia eu também já estive! Entendo o seu desespero!!!!  Neste exato momento está pensando em largar o curso de Engenharia que vai terminar no final do ano para ser garçom na Inglaterra? Já andou que nem um louco pela cidade procurando agências de intercâmbio para trabalhar num hotel no Canadá por 6 meses? (bom… pelo menos são mais 6 meses, não é mesmo??!!! Quem sabe, não é lá que vai encontrar o grande amor da sua vida!!!) ah…  Já sei, melhor ainda: está com planos de no verão ser barman em Ibiza? Ahhh tá bem vai! No momento, “tô”  aceitando até faxinar um prédio inteiro, ao invés de ficar sentada o dia todo aqui, nesta cadeira de dentista!!!!  Esses exemplos que dei acima são meramente fictícios e, qualquer relação com a verdade, não me culpem!!!!

Profissional Cleaner! E ainda por cima de Hampsead or Belsize Park – só para os fortes!
Recebendo 200 pounds pelo trabalho em Londres
Recebendo 200 pounds pelo trabalho em Londres

Quer saber? Já desisti de ser dentista mil vezes!!!!

Comigo isso já aconteceu muitas vezes! Passei a querer ser entregadora de jornal em Londres, faxineira na França, coletora de lixo na Alemanha ou quem sabe… guarda vidas na Nova Zelândia!!!!! Graças a Deus, esta fase já passou na minha vida. Consegui focar o meu objetivo e me formar Médica Dentista em Portugal e, com diploma sendo válido em toda a União Européia, então por conta disto, claramente posso te orientar em uma coisa: Esta fase passa! Foque nos seus estudos, foque nos seus sonhos, não deixe eles escaparem de você, enquanto há tempo, lute por eles! Mesmo que o seu sonho seja ser empacotador de produtos no norte da Conchinchina. Faça isso, lute por isso e você vai conseguir.

Recebendo Diploma Europeu – Mestrado Integrado em Medicina Oral – com meus pais
Recebendo Diploma Europeu – Mestrado Integrado em Medicina Oral – com o Diretor Dr.Moreira

Então vamos lá, algumas dicas para você não ser o super irritante da turma dos velhos amigos!

  1. Por favor, pare de falar da cidade que você ficou meses fazendo intercâmbio – lembre-se: ninguém mais quer saber!
  2. Pare de falar Inglês com quem não sabe falar! O atendente da padaria não faz a mínima ideia de quem você é!
  3. Família é família, eu sei disto! Mas sua mãe, pai, irmãos, etc não são obrigados a aguentar os seus “chororos” e crises de identidade + ansiedade para voltar a viver  em qualquer lugar no estrangeiro.
  4. Ao sentar em uma mesa de bar, com os velhos amigos e for tomar aquele “choppinho” no “happy hour“, não reclame da cerveja fraca, nem dos copos ou de qualquer outra coisa.
  5. Jamais, em NENHUMA circustância, fale mal do seu país! Mesmo que as dificuldades que você hoje enxerga, e que você pode  sim fazer alguma comparação (eu sei disso), mais não faça! As pessoas não vão entender. As pessoas não são obrigadas a saber tudo o que você aprendeu lá fora.
  6. Sim, eu sei! É muito legal mesmo conhecer gente do mundo todo, e vários lugares diferentes, mas não se esqueça: os seus amigos de sempre são os que tem que ser super valorizados por você, pois são eles que vão te estender a mão no dia que você precisar.
  7. Procure retornar as suas atividades com uma certa urgência. Isto vai ocupar sua mente e fazer com que você se sinta útil.
  8. Tenha uma rotina. É obrigação ter uma rotina para que a sua readaptação seja bem sucedida.
  9. Momentos saudosos vão sempre existir… quando de repente, eles surgirem: mude o pensamento e lembre-se do seu objetivo de vida e foque nisto.
  10. E o mais importante: não perca a sua essência. Aceite o seu país e respeite as pessoas que nele vivem independente se você não está mais vivendo nele. Não esqueça que: provavelmente 99% das pessoas que te amam de verdade estão lá a espera do seu retorno ou talvez de sua visita.
Viajando no Brasil - Pico do Agudo
Viajando no Brasil – Pico do Agudo
Amigos em Ilha Bela - Brasil
Amigos em Ilha Bela – Brasil

Atenção: Artigo registrado na Biblioteca Nacional. Não ao Plágio! Autora: Natália Faleiros

Este artigo pertence a categoria Crônicas de Mochileiros – caso queira acompanhar a história e crônicas de Natália Faleiros vá ao menu Crônicas de Mochileiros. As crônicas contam histórias de uma estudante em Londres e que mais tarde se apaixona por viajar.

Não ao Plágio
Não ao Plágio