Virando criança de novo em um país estranho. Os primeiros dias morando na Inglaterra

Virando criança de novo em um país estranho. Os primeiros dias morando na Inglaterra

O que será que estou fazendo aqui? Como faço para ir embora? – Oi, prazer Natália. Obrigada por vir me buscar no aeroporto e me levar até aonde irei me hospedar. – Minha prima falou muito bem de você. – Me desculpa se estou te incomodando. – Quer ser meu amigo? – Estou desesperada? Queeee, você não mora em Londres? Como assim? Aonde fica Gilford? Me leva com você? por favor não vai embora ainda… fica comigo! Espera, posso ir junto com você? Haa sim! Você trabalha, claro! Veio fazer um favor para minha família. Tudo bem… eu fico aqui sozinha! Socoroooo Ei ei espera! Me ensina a ligar para o Brasil? O que vou comer? Eu tô com fome. Ops você já se foi! ……..

Não sei se alguém vai se identificar com o texto acima mais é a realidade de muitos estudantes que chegam em um outro país completamente estranho e que o Português não seja a língua Oficial. No meu caso, tive a ajuda do Alex, primo de uma prima, lá de Bauru. Ele me buscou no aeroporto, me levou para a hospedagem estudantil e ficou comigo os 2 primeiros dias. Me ensinou algumas coisas iniciais, me acalmou e falou em Português comigo. A presença dele foi fundamental para que eu não desmoronasse e saísse correndo de volta para o Brasil.

Vivendo em Londres
Vivendo em Londres

Já sou grandinha mais não sei fazer nada aqui! 

Foi assim que me senti. Foi como ter 1 ano de idade no corpo de 25 anos. Não sabia fazer nada, aliás eu não sabia nem falar! Uma criança de 1 ano falava melhor que eu!!! Não saber falar a língua em um passeio até passa, agora ir para morar e não saber falar! O dinheiro era contadinho e não dava para desperdiçar; (turista por mímica se vira mais desperdiça!) então vamos ao supermercado. To com fome, preciso comer! Pera ai, vou comprar o que? o que é isso? “Onion“… hummm parece bom!  E aquilo ali, o que é? ha desisto vou comer banana com esse lanche de “onion“.

Não tira sarro de mim, por favor me ajuda

Cheguei em Londres com 65 kgs e 10 dias depois estava pesando 57 kgs. Então meninas leitoras tá ai uma boa receita para emagrecer! No inicio, até comer era complicado! Tudo o que comprava ou era ruim ou era ruim! Não tinha outra alternativa e cheguei a pensar que nada naquele país era bom…  Mesmo tendo saído da minha cidade, que é no interior de São Paulo, aos 17 anos de idade ou seja, eu já sabia me virar muito bem sozinha, ali era  diferente… a realidade era outra e sim me tornei criança de novo, só que desta vez uma criança no corpo de uma quase mulher de 25 anos. Como disse antes vim do interior de SP, e como todo “caipira”  sou com a alma interiorana e a gente lá do interior é muito ingênuo, é enganado fácil e o coração mole as vezes ajuda mais quase sempre prejudica.  Não sei como foi para você, que já viveu isso que vivi, mais para mim foi bem complicado os 15 primeiros dias. A maior parte do tempo ouvia que Londres era cheio de Brasileiros, mais só encontrava alguns na escola e depois da aula, a minha rotina foi tomada apenas de pessoas estrangeiras falando Inglês ao meu redor. Então… dicionário na mão e vamos lá aprender a falar essa tal língua que já cansei de chorar e quero ser feliz aqui neste lugar. Tô com fome ainda, quero comer comida de verdade. Por favor, quero um “chiken” inteiro!!!!

Só um detalhe: Onion é cebola!

Vivendo em Londres
Vivendo em Londres

Atenção: Artigo registrado na Biblioteca Nacional. Não ao Plágio! Autora: Natália Faleiros

Este artigo pertence a categoria Crônicas de Mochileiros – caso queira acompanhar a história e crônicas de Natália Faleiros vá ao menu Crônicas de Mochileiros. As crônicas contam histórias de uma estudante em Londres e que mais tarde se apaixona por viajar.

Não ao Plágio
Não ao Plágio