Relato de Cléo Peixoto que viajou por 21 dias entre Chile, Bolívia e Peru e compartilhou a Ascenção ao Vulcão Villarrica

Relato de Cléo Peixoto que viajou por 21 dias entre Chile, Bolívia e Peru e compartilhou a Ascenção ao Vulcão Villarrica
Relato e imagens Cléo Peixoto
Este foi, sem dúvida, o dia em que agradeci por ter colocado Pucón no nosso roteiro e mais ainda, por ter escolhido fazer a ascenção ao vulcão!!!
É uma experiência incrível que acho que todos (com o mínimo de condição e vontade de se aventurar) deveriam fazer!!! 
Logo quando fomos agendar a trilha, 2 dias antes, um dos guias falou que nao conseguiríamos chegar até o topo, que chegariamos um pouco mais da metade. Inicialmente eu estava ali para chegar no topo! Li milhões de relatos, sabia da dificuldade, mas eu realmente estava na expectativa de chegar… Se nao chegasse ficaria bem chateada… e, quando ele falou isso minha motivação caiu exponencialmete…
Massss ainda estava na cabeça que conseguiria.
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Inicialmente eu estava com vontade de subir desde a base, mas quando vi o tamanho do vulcão pensei que uma ajudinha do teleférico não iria fazer mal algum, rsrsr
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Pegamos o teleférico, saltamos e começaram os preparativos. Eu estava com um short termico, uma calça termica e uma legging… No pé, uma meia normal e uma meia mais fofinha por cima e 2 blusas de manga comprida. Na hora dos preparativos o guia começou a pegar varias coisas da bolsa, colocou um gorro que cobria o rosto inteiro (fiquei com invejinha e Elias, um dos guias, me emprestou uma), estava com a roupa inteira termica… me assustei nesse momento.. ahhh e as japonesas que estavam conosco… estávamos com medo delas.. hahaha Elas usavam suas próprias picaretas (era assim q eles chamavam) e estavam iguais ou melhor q os proprios guias… ja sabiamos q essas iriam ate o final com certeza… rsss
Começamos ! Nunca tinha pegado nem visto neve na vida, entao minha emoçao ja começou ali… muito linda. De longe parece algodao e de perto podemos sentir a solidez do gelo… 
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Até o meio da trilha foi tranquilo. Sentimos aquele cansaço normal de fazer esforço mas nada demais…
Depois do meio que a parada ficou mais tensa. Eu ja estava começando a sentir meu pé congelar e alagar (mas isso por teimosia minha que não quis colocar o calçado mais apropriado para o gelo. Também, o tal do Elias disse que o meu serviria perfeitamente (era um tenis, tipo botinha). Acho que ele falou isso por que imaginava que não chegaríamos mesmo…). O cansaço foi piorando e a subida ficando mais íngrime. Olhávamos para cima e parecia tao perto. Quando chegávamos onde estavamos olhando ainda faltava uma montanha gigante… aconteceu isso varias vezes durante a trilha… que raiva!!!
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Um pouco depois da metade uma de minhas amigas começou a sentir muita dor no joelho (ela tem problema no joelho) e parou… mas foi a maior pressão do guia la da frente. Ele perguntou umas 3x: “Nuria (nome dela), vc esta mesmo desistindo??? Esta certa disso ne?”….horrivel…
Ela entao parou e ficou com Elias até a nossa volta. Elias tinha ficado junto comigo até aquele momento, tiramos varias fotos; cada uma de um angulo diferente; ele nao estava se importando muito com o tempo, talvez porque achava que nao conseguiríamos….
Depois q eles foram embora fiquei com outro guia ao meu lado. Nossa, esse era um saco; eu nao podia parar pra tirar fotos e nem para beber agua, tinha que subir, subir, subir até as paradas, que duravam de 5 a 7 minutos e só dava tempo para fazer uma coisa: tira foto, comer ou beber agua… um inferno. Nao tive muitas fotos depois dessa hora…
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Um pouco antes do cume eu ja estava com a perna doendo demaaaais. Minha respiraçao até que nao estava ruim, mas as pernas pediam arrego… E o pé ? Ahh esse ai eu ja tinha esquecido. Estava encharcado (literalmente) e eu nem sentia meus dedinhos. Sabe quando se pisa em lama ou poça? Entao, essa era a sensação que eu tinha quando pisava… tenso demais.. rsss
Massss depois de muito esforço chegamos ao topooooooooooooo !!!!!!! Fiquei muuuuito feliz, uma sensação completa de felicidade e vitória e tudo junto!! Amei!!!
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Tiramos algumas fotos da vista (e que vista), avistamos o vulcao Lanin mais ao longe e andamos com o guia para mais longe onde poderiamos olhar a cratera mais de perto…
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Quando eu olhei para ela e sua imensidão nao consegui me segurar, as lagrimas cairam instantaneamente. Eu simplismente não acreditava no que estava vendo. Só de escrever isso agora ja fico com uma pontinha de emoção! Lindo lindo lindo… era sem sombra de duvidas a emoção mais forte e mais bonita que ja tinha sentido… só o fato de olhar e pensar que vc é apenas uma migalha tao pequena e tao destrutível ao lado de uma natureza tão grandiosa e poderosa quanto aquele vulcão, é de fato um motivo para se emocionar e pensar a respeito…
Ficamos uns minutinhos apreciando a beleza de tudo e agradecendo por ter tido a oportuniade de estar ali. Sabe quando falamos sem pensar “Aquela menina está em alfa..”, então, essa era a minha sensação naquele momento. Eu não estava ali. Era divino, inexplicável !!!! Totally freedom ! Eu estava, definitivamente, in love pelo Villarrica e sua cratera ::love:: ::love:: ::love:: ::love::
Meu coração batia rapido por estar cansada e também por estar emocionada. Uma emoção que vinha de dentro.. Não sei se posso me dar ao luxo de fazer tal comparação, mas ouso a dizer que era como se eu estivesse apaixonada naquele momento.. Eu estava na lua … ou melhor, no vulcão, no villarrica, em sua cratera, no topo do mundo… Ahhhhhhhh era tudo e mais um pouco !!!! Apaixonante ! Se pudesse, saia de casa agorinha e faria toda a trilha de novo e de novo e de novo e milhões de vezes, pois aquilo é magnífico !!!!!!! ::kiss:: Beijo, seu lindo !
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Relato de Cléo Peixoto
Enfim, voltando ao relato… kkkkkkkkk
Começamos entao a nos preparar para descer… SKIBUNDAAAAAAAA!!!!!
Essa parte foi MUITO boa !!! Algumas meninas nao conseguiram pegar velocidade mas eu fui coladinha no guia, demais ! Quando chegamos até o teleférico, ainda tinham mais 1 ou 2 trechos de skibunda e depois seguimos a pé. Não tenho fotos do skibunda, pq .. meio óbvio né, não tem como se segurar e tirar foto ao mesmo tempo e enfim.. A não ser que você tenha uma GoPro, o que não era o meu caso..kkkk
Nessa hora olhei para a terra toda molhada e escorrendo a neve (agora ja liquida)… lembrei na hora de como a agua dos ojos del caburga poderia ser fria !!!!!
Quando chegamos novamente no começo da trilha (no fim na verdade), o carro da colque tours (empresa em que contratamos) estava nos esperando. Tratamos de tirar nossos calçados encharcados e fomos para o hostel. Chegando no hostel tomei um banho e senti que foi o melhor banho da minha vida, kkkkkkkk
 
E agora, no fim do relato, relembrando toda aquela experiência, repito: essa foi, sem dúvidas, a MELHOR EXPERIÊNCIA DA MINHA VIDA !!!!!!
Recomendo a todos !
Enjoy Villarrica Volcano 🙂
Relato de Viagem por Cléo Peixoto, que foi gentilmente cedido pela autora para publicarmos  no Blog do Mochileiros pelo Mundo.
Autoria e Imagens: Cléo Peixoto.